Entrevista com Diretor do Grupo Interalli, responsável pelo Parque Solar em Brasileira.

 

         1.       Os brasileirenses ficaram muito felizes com a notícia de que nossa cidade abrigará um dos maiores parques solares do País, o Complexo Fotovoltaico Marangatu. O Sr. poderia explicar mais sobre o projeto?

Primeiramente agradecemos a receptividade da população e da administração local para com o nosso projeto. Isso nos incentiva e nos dá a certeza de que acertamos ao escolher o município de Brasileira e o estado do Piauí para abrigar esse que será dos maiores parques solares do estado.


O Complexo Marangatu produzirá 360 mw de energia limpa, sem agressões ao meio ambiente e à população. Para isso, nós adquirimos 1.400 há para a construção deste empreendimento, que seguirá todas as boas práticas de construção e ambientais.
Em tempos tão dificeis que estamos todos enfrentando, com tantas incertezas, saber que estamos lutando juntos, e podendo trazer mais esperança para toda uma população nos dá a certeza de que estamos no caminho certo.

E por acreditarmos nessa parceria, anuncio em primeira mão que estamos em processo de desenvolvimento para um novo parque fotovoltaico, o Complexo Carnaúba, que produzirá mais 392 MW de energia, e será instalado também no município de Brasileira.
 
 
         2.    Há alguma data prevista para iniciar a construção do Parque Solar?

Do ponto de vista operacional e financeiro, estamos totalmente prontos para começar as obras imediatamente. Toda a energia que será gerada pelo Complexo Marangatu já está vendida para Furnas, em um leilão que aconteceu em novembro de 2020.

Atualmente, dependemos somente da emissão das licenças ambientais de instalação para darmos início às obras. Esse tema, inclusive tem sido tratado com muito esmero pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente – SEMAR/PI- , na pessoa da secretária Sádia e demais membros de sua equipe, que até o momento vem cuidando com extremo profissionalismo, seriedade e agilidade nosso projeto.

Nos próximos dias estaremos iniciando, junto ao Órgão Ambiental, a fase de licenciamento de instalação do empreendimento.

        3. É a primeira vez que o município recebe investimento dessa envergadura, existe estimativa de quantos empregos diretos o empreendimento irá gerar? Como será feita a seleção dos trabalhadores?

Nós, do grupo Interalli, temos uma política que, ao firmar os contratos com as empresas prestadoras de serviços, que farão a construção do empreendimento, colocamos como premissa para essas empresas, que se contrate a maior parte possível da mão de obra local. Logicamente que existem aquelas funções mais específicas que carecem de maior experiência, mas em sua grande maioria, priorizamos a contratação local.
Além disso, a capacitação dessa mão de obra local permitirá que moradores da região se qualifiquem profissionalmente, possibilitando que as pessoas sejam empregadas posteriormente em outras obras e até mesmo na fase de operação do complexo Marangatu.

 

        4.Que impactos positivos a chegada do empreendimento gerará em Brasileira em toda região?

Além da geração de empregos que citamos há pouco e o aumento na arrecadação de impostos, uma obra desse porte movimenta todo o comércio local, além de trazer para o município uma grande visibilidade.
Em toda nossa experiência sempre vemos que essa visibilidade atrai muitos pontos positivos para a cidade, como turismo por exemplo.